Cerâmica de Icoaraci (PA)

Cerâmica de Icoaraci (PA)

 

Icoaraci, distrito de Belém, distante 20 quilômetros da sede da capital paraense, destaca-se como importante polo da cerâmica da Amazônia. Essa arte de forte tradição familiar se deve à Vila Sorriso, como é carinhosamente conhecido o distrito, e atravessou as fronteiras do Pará e mesmo do Brasil. 

 

Em Paracuri, bairro central do distrito, concentra-se a maior parte dos ceramistas. Atualmente, o estilo decorativo predominante nas peças é resultante da fusão de vários outros, inspirados em peças arqueológicas, principalmente das tradições marajoara, tapajônica ou santarena, maracá e kondori. São jarros, pratos, vasos, jogos de feijoada, muiraquitãs, entre outras peças, produzidas com o barro proveniente das reservas de argila do próprio distrito e de suas redondezas. 

 

A atividade começou a tomar forma a partir da década de 1950, pelas mãos de Antônio Farias Vieira, conhecido como Mestre Cabeludo, que introduziu nas peças o desenho marajoara. As técnicas foram ainda mais difundidas pelo artesão Raimundo Cardoso nos anos 70 e 80. Junto à sua esposa, Inês, Mestre Cardoso produziu milhares de objetos de cerâmica inspirados na arte pré-colombiana e formou novas gerações de ceramistas.